Segunda, 18 de Janeiro de 2021
89 99408-9358
Saúde Informação

Diretor responsável pelo Enem morre de Covid-19 em meio a pressões pelo adiamento do exame, marcado para domingo

Carlos Roberto Pinto de Souza era diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep desde agosto de 2019 e morreu em Curitiba nesta segunda

11/01/2021 22h18
Por: Vinícius Carvalho Fonte: O globo
Diretor responsável pelo Enem morre de Covid-19 em meio a pressões pelo adiamento do exame, marcado para domingo


Carlos Roberto Pinto de Souza, diretor de Avaliação da Educação Básica do Inep desde agosto de 2019, morreu nesta segunda em Curitiba (PR) Foto: Divulgação

BRASÍLIA — Diretor de Avaliação da Educação Básica, do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), responsável pelo Enem, Carlos Roberto Pinto de Souza morreu nesta segunda-feira, aos 59 anos, em Curitiba. General de reserva, Souza havia assumido a direção do órgão em agosto de 2019, o quarto responsável pela área no governo de Jair Bolsonaro.

PUBLICIDADE

Fontes ligadas ao diretor afirmam que Souza morreu vítima de Covid-19. Questionado pela reportagem se essa seria a causa da morte do diretor, oficialmente o órgão disse apenas que, "em respeito à família do diretor", o motivo do falecimento não será tratado pelo Inep.

O GLOBO apurou que, além da questão familiar, o órgão teria optado por omitir a causa da morte por uma questão política para evitar desgastes a poucos dias do Enem, cuja primeira prova está marcada para o próximo domingo (17).

Desde a semana passada, cresce a pressão pelo adiamento da prova, em meio ao crescimento de casos e óbitos pela Covid-19. Além de pedidos de entidades estudantis e científicas, a Defensoria Pública da União (DPU) requisitou, na última sexta-feira, o adiamento do exame à Justiça Federal da 3ª Região .

Informação omitida em outras ocasiões

Não é a primeira ocasião em que órgãos federais omitem a causa de morte de um servidor em meio à pandemia. Em novembro do ano passado, após sofrer reprimenda do presidente Jair Bolsonaro, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) omitiu informação sobre a causa da morte do agente Flávio José Souza Gomes.

PUBLICIDADE

Em maio, Bolsonaro também havia reclamando da menção de coronavírus em um comunicado sobre a morte de um policial. Na época, o presidente afirmou que era preciso informar as outras doenças da vítima, "para não levar medo à população".

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.