Segunda, 19 de Outubro de 2020
89 99408-9358
Internacional Descaso

Filha recém-nascida era escondida em armário por mãe, para morrer de fome

Os irmãos imaginaram que a 'menina era fantasia', nos seis meses de fome e sofrimento que ela passou

11/10/2020 12h16 Atualizada há 1 semana
Por: Vitor Carvalho
Filha recém-nascida era escondida em armário por mãe, para morrer de fome

 

Na Rússia uma moradora do distrito de Urais, escondeu sua filha recém-nascida dentro de um armário por seis meses.

A moradora Yulia, de 37 anos da cidade de Karpinsk, manteve sua filha recém-nascida em um armário por seis meses. Segundo sua amiga, Yulia estava grávida, mas quando deu à luz, disse a todos que a criança tinha morrido no parto. E ninguém sábia que a criança está viva e que a mulher estava mantendo a criança em seu apartamento em uma bolsa no armário. Yulia já tem dois filhos: um menino de 13 anos e uma menina de 3 anos.

O menino ficou calado, e a menina do Jardim de infância Falou que eles tinham uma boneca, "como se estivesse viva, o nome dela é polina". Mas ninguém chegou a prestar atenção: eles imaginaram que a menina era pequena, ela fantasiava,-disse Irina, sua amiga, à mídia local.

Seus dois filhos seguiram levados, para um orfanato.

Um morador local falou que a mulher desejava que a criança morresse, então ela decídiu que a garota passasse fome.

"Essa história terrível é difícil de acreditar, mas não importa o quão difícil seja falar sobre ela, parece que é verdade", fala Valery Gorelykh ( ministério de Assuntos internos). -Para confirmar isso, é necessário obter um parecer médico de que a mulher em questão é a mãe da criança. O fato e que a suspeita não foi registrada em nenhum ambulatório de pré-natal no período da gravidez ,e nem se que pediu a juca de nenhum médico no momento do parto. Talvez por que o nascimento tenha ocorrido em casa . E a criança segundo dados preliminares, tem desnutrição de terceiro grau, além de suspeita de outras doenças graves.

Afirmou ainda Valery Gorelykh, sobre o fato, abriram um processo criminal dentro dos termos do ártigo 156 do Código Penal Federação Russa " incumprimento de responsabilidades por criar um filho menor".

A suspeita ainda tava criando mais dois filhos -um menino de 13 anos e uma menina de 3 anos sozinha, havia terminado com o marido no início deste ano.




* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.